Mal de Altitude no Atacama

Como evitar o Mal de Altitude no Deserto do Atacama

Uma das maiores preocupações de quem vai viajar para alguns dos países da América do Sul como Chile, Bolívia e Peru é o mal-estar provocado no organismo por ser uma região muito mais elevada em relação ao nível do mar do que o Brasil. A elevação acaba provocando o famoso “mal de altitude”, também conhecido como soroche ou mal da montanha.

Além de o Deserto do Atacama estar localizado a mais de 2.400 metros acima do nível do mar, são registrados níveis baixíssimos de umidade por lá. Dessa forma, é  muito comum que o viajante sinta algum desconforto ao chegar à região. 

Preparamos esse post para você que já está de malas prontas para o deserto e que está receoso com o desconforto. Siga a leitura para saber como evitar qualquer incômodo. 

Afinal, o que é o mal de altitude? 

Nada mais é do que um distúrbio causado no organismo pela falta de oxigênio, que é uma condição chamada de “hipóxia”, por causa de altitudes elevadas. Ao nível do mar, o ar é denso, mas, à medida que subimos, menor é a pressão atmosférica e, consequentemente, a concentração de oxigênio. 

Assim, por mais que nossos pulmões estejam cheios de ar, eles não conseguem a quantidade necessária de oxigênio para manter todas as funções corporais. Por isso, a respiração se torna mais rápida e ofegante, causando um aumento na acidez do sangue. Para compensar, o coração aciona mecanismos para bombear mais sangue para os tecidos, o que leva ao aumento da frequência cardíaco, por isso tanta sensação de falta de ar e fadiga. 

Como nosso cérebro não pode ficar sem oxigênio, a funcionalidade normal do sistema digestivo deixa de ser prioridade. Todos esses fatores, juntos, levam à desaceleração do metabolismo.

O que você pode sentir?

Mal de Altitude no Atacama
Ruta de Los Salares

Como você vai, de fato, se sentir é uma surpresa (nem sempre muito boa). Nem todo mundo sente o mal de altitude ou soroche, mas algumas pessoas passam bem mal.  

Os principais sintomas são dor de cabeça, tontura, enjoo, falta de ar e a sensação de ficar mais ofegante e cansado durante as caminhadas. Em alguns casos (bem mais avançados), é possível observar cianose – uma coloração azulada nas extremidades do corpo, como pés e mãos. Mas, calma! Isso só acontece em casos mais extremos, em que há exposição por um longo período a altitudes muito elevadas e sem a aclimatação apropriada.

Normalmente, os sintomas começam a ser sentidos quando você começa a atingir altitudes a partir de 3.400 metros de altura. No Deserto de Atacama, os principais passeios nos quais você pode se sentir mal são:

  •  Os Gêiseres del Tatio que se encontram a 4300 metros de altitude;
  •  A trilha para chegar até o vulcão Lascar que fica acima de 5000 metros de altitude;
  • E a rota dos Salares que atinge até 4800 metros. 

Geralmente, a cada 100m que subimos em relação ao nível do mar, 1% da concentração de oxigênio no ar cai. Então, se você subir a 5 mil metros de altitude, seu organismo trabalhará com metade do oxigênio com o qual está acostumado. O mais recomendado é que você deixe estes passeios mais para o final da viagem, quando já estiver mais ambientado com a altitude e o clima. 

Como evitar?

Folha de Coca para o Mal da Altitude Atacama
Folhas de Coca

É muito importante evitar bebidas alcoólicas e comidas muito pesadas quando chegar ao destino, pois seu sistema digestivo passará a funcionar de forma mais lenta. Se você pesar a mão (e a boca) em comidas muito pesadas e gordurosas, sentirá os efeitos de forma mais forte. E sobre o álcool, como todos sabemos, ele desidrata o corpo com muito mais facilidade, então pegue leve! 

O chá de folha de coca, que uma das 5 plantas comestíveis típicas do Atacama para você experimentar, é muito consumido nos países andinos, justamente porque ajuda a evitar o mal de altitude. Ele é encontrado em vários lugares e pode ser bebido à vontade. O chá tem ação digestiva e curativa por sua ação carminativa, que ajuda na eliminação dos gases e na recuperação de energia pelas pessoas fatigadas.

No calor que faz em meio ao deserto, nem sempre o chá será uma boa pedida, então uma alternativa tão eficaz quanto ele é mascar a própria folha de coca. Coloque umas duas no fundo da boca e fique mascando pelo tempo mais longo que você conseguir. É ruim, meio amargo, mas faz muito bem. Além da folha, você facilmente encontrará balas de coca, que podem ser, também, uma alternativa para evitar o mal-estar.

E, como o óbvio também precisa ser dito, mantenha-se sempre muito hidratado. Além do clima extremamente árido, tomar água é essencial contra o mal de altitude e te ajudará a se aclimatar.  É essencial que você beba o dobro de água do que o recomendado em condições normais de temperatura e pressão.

O que fazer se eu passar mal? 

Evite movimentos muito bruscos, pois você pode ter a sensação que temos quando nos levantamos muito rápido – e isso é potencializado pela altitude! Então, mova-se com calma, dê passos curtos e sem pressa. 

Como uma leve dor de cabeça costuma ser o primeiro sintoma a se manifestar, pode ser uma boa ideia ter consigo uma aspirina, um remédio à base de ibuprofeno ou algum remédio semelhante. Mas não se esqueça de que lá no Atacama você encontrará farmácias caso precise.

Se você está de malas prontas e se sentindo nervoso por conta do mal de altitude… não se preocupe! O deserto mais árido do mundo guarda belezas estonteantes que fazem valer a pena qualquer sensação estranha no corpo. Vulcões, águas termais, flamingos, vales para ter a sensação de andar na lua e em Marte, enfim: são infinitas opções de experiências.

Além de te ajudar a se preparar para evitar ou lidar com o mal da atitude no Atacama, também temos um post completo sobre o que não faltar na sua mala para o Atacama.

Qualquer dúvida, portfólio ou se você quiser o Manual de Dicas de Santiago, pode me chamar no whatsapp clicando no link abaixo.

Link pro meu Whatsapp

Link pro meu canal do Youtube

No Instagram @zerandochile eu posto conteúdo diário sobre o Chile. Se você veio pelo blog, comenta na minha última foto #vimpeloblog

Até o nosso próximo post! Abraço!

Tales Barreto

FUNDADOR ZERANDO O CHILE

Tales Barreto é um jovem sonhador cearense que abandonou uma carreira de piloto de navio pra tentar a vida no Chile. Hoje Youtuber de profissão, louco de criação e trabalha com turismo no Chile por paixão. Em uma de suas loucuras, decidiu zerar o Chile de van do indo extremo norte ao extremo sul do Chile gravando tudo pro Youtube. Daí veio o nome, Zerando o Chile! Se você ta vindo pra Santiago ou Atacama, fala com a gente. Nós te ajudamos com o seu roteiro e com a reserva de passeios.

Categorias

Comece por aqui

Hospedagem

Tours em Santiago

O que fazer em Santiago

Dicas Atacama

Dicas Santiago

Reserva online e suporte durante pagamento

BLOG

Posts Recentes

Salar do Uyuni

Como fazer a travessia do Salar Uyuni – Dicas de um expert

5 lugares incríveis para conhecer no Chile

5 lugares incríveis para conhecer no Chile

Termas de Puritana Deserto do Atacama

Termas de Puritama: Uma viagem pelas águas do Atacama

Explore as Termas de Puritama, no deserto do Atacama. Mergulhe nas relaxantes águas termais naturais, rodeadas pelo esplendor natural do Chile.
plugins premium WordPress
Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?